Call for paper (português)

Piotr Kropotkin 1921-2021 – Ativismo e Pesquisa

Colóquio internacional, Universidade de São Paulo (USP), Departamento de Geografia, 19-23 Julho 2021

Piotr Aleksejevič Kropotkin (1842-1921) foi sem duvida uma das figuras mais importantes da história global do anarquismo e do primeiro socialismo. Seus escritos e atividades contribuíram a definir as teorias e práticas internacionais do anarcocomunismo, exercendo uma influência ainda viva no pensamento anarquista e crítico. As ideias de Kropotkin sobre a ajuda mutua continuam a desafiar os conceitos atuais de competição do capitalismo e neoliberalismo e podem opor-se ao malthusianismo sobrevivente nas ciências sociais e nos estudos sobre o desenvolvimento, sobretudo no que hoje é conhecido por ‘Sul Global’.

O conceito kropotkiniano de ciência como sinônimo de pensamento ético, livre experimentação e questionamento ininterrompido ainda desafia as recrudescências atuais dos fanatismos religiosos e de todos os obscurantismos, que incluem o retorno do criacionismo. As ideais kropotkinianas de federalismo e descentralização ainda inspiram debates sobre as inter-relações entre economia, política, sociedade, cultura e território, e problemas ambientais a escalas diferentes. Porém controvertido, seu internacionalismo ainda fala a todxs xs que lutam contra os muros e as fronteiras que estão sendo progressivamente reconstruídos no mundo, para cultivar a solidariedade internacional entre todxs xs oprimidxs. O anticolonialismo de Kropotkin esteve entre as primeiras tentativas de considerar o espaço e as identidades como categorias para analisar as lutas pela justiça social e ainda inspira o “giro espacial” dos movimentos sociais, na América Latina e além.

As tentativas de Kropotkin de estabelecer alguns princípios filosóficos do anarquismo em torno de seu conceito de ética para suportar uma organização social anarquista produziu um rico arcabouço teórico que nunca parou de inspirar mundialmente ideias de solidariedade. Em colaboração com Élisée Reclus e o circuito dos primeiros geógrafos anarquistas, Kropotkin estabeleceu princípios para a geografia social e para o ensino da geografia que inspiram ainda hoje as tendências anarquistas e radicais na disciplina. Além de ter sido um grande filósofo e escritor, Kropotkin é também um sujeito exemplar para histórias transnacionais de ativismo cosmopolita e multilíngue, e análises do socialismo europeu e internacional. Ele fundou alguns dos maiores jornais anarquistas do século dezenove e vinte, manteve correspondência com um grande número de militantes e foi constantemente envolvido nas atividades políticas, especialmente na Rússia, na Franca e no Reino Unido. Kropotkin foi um persistente e audaz crítico do czarismo e igualmente um veemente crítico do marxismo.

Sendo assim, o centenário de Kropotkin não e só uma ocasião para redescobrir uma figura que interessa geógrafos, historiadores, filósofos, antropólogos, sociólogos, economistas, estudiosos de ciência política e outros pesquisadores, mas também ativistas e vários públicos. Kropotkin pode ajudar-nos a repensar as fronteiras disciplinares das ciências naturais e humanas e o rolo socialmente transformativo da análise social. Contudo, a história do anarquismo, como a história da geografia, não é limitada aos atos de “grandes homens” (ou de “grandes mulheres”), mas é feita de redes, circulações de conhecimentos, espaços e contextos. Por isso, esperamos contribuições sobre a vida de Kropotkin, seus trabalhos e sua recepção, mas também contribuições que se inspirem em aspectos do trabalho de Kropotkin para lidar com assuntos e contextos mais amplos. Esperamos especialmente propostas sobre (mas não limitadas a):

  • História e teoria do anarquismo, especialmente com referencia aos temas discutidos por Kropotkin  (ajuda mutua, descentralização, justiça social e trabalho manual, revolução francesa, ética, pedagogia, prisões …)
  • Figuras de intelectuais ou ativistas que conheceram Kropotkin ou contribuíram à difundir as ideias dele.
  • História global e transnacionalismo, especialmente com referência a experiências de ativismo radical
  • Filosofia e história da geografia (e geralmente de ciência), especialmente com referência a tendências criticas
  • Decolonialidade, feminismo, gênero e estudos críticos sobre a raça, especialmente com referência às suas relações com a tradição anarquista
  • Ajuda mutua, evolucionismo, Malthusianismo e suas críticas
  • Filosofia da natureza, determinismo ambiental e suas críticas
  • Ciência, religião e suas críticas
  • Recepção do comunismo anarquista de Kropotkin na América Latina e mais geralmente no Sul Global
  • Pesquisa anarquista e radical hoje em todas as disciplinas científica (humanidades, ciências sociais, ciências naturais …)
  • Anarquismo e alternativas radicais hoje

Formato

Queremos evitar o formato hierárquico das conferências clássicas, onde “grandes professores” fazem palestras plenárias, professores mais jovens organizam sessões e alunos apresentam posters. Nessa conferência todas as sessões serão em formato plenário, sem sessões paralelas, de maneira que todos possam falar e ser ouvidos por todos os participantes.

Línguas

As línguas aceitas para as presentações são Português, Inglês, Espanhol e Francês. Como não teremos um serviço profissional de tradução simultânea, solicitamos a todos os participantes a prepararem um PowerPoint e um resumo em uma língua alternativa à que utilizam na sua fala. Buscaremos organizar grupos de voluntários para oferecer tradução solidária em pequenos grupos durante as falas.

Submissão de resumos

Favor enviar sua proposição (250-500 palavras) a kropotkin19212021@gmail.com para o 14 de setembro 2020. Depois do aceite, informações sobre cadastro, possibilidades de hospedagem etc. serão divulgadas.

Site da conferência: https://kropotkin2021.com/

%d blogueiros gostam disto: